Ata da aula do dia 16/04/2011

Leitura do O Evangelho Segundo O Espiritismo: DEIXAI AOS MORTOS O CUIDADO DE ENTERRAR SEUS MORTOS. Capítulo XXIII – Moral Estranha.
Leitura do capítulo 76 do livro Vinha de Luz: NA PROPAGANDA EFICAZ.
ESTUDO DA OBRA “A GÊNESE” DE ALLAN KARDEC. CAPÍTULO XI – GÊNESE ESPIRITUAL. ITENS 12 a 14 – UNIÃO DO PRINCÍPIO ESPIRITUAL E DA MATÉRIA.
Ver arquivo de slide PPS:. O perispirito
No estudo, foi utilizado um leque/abanador com um desenho no meio e foi traçada uma linha em volta do desenho central para ilustrar o princípio espiritual, o perispírito e o corpo físico.
Vamos utilizar um desenho para ata-resenha:
(imagem extraída do sítio http://grupoallankardec.blogspot.com/2011/04/quem-somos-onde-fica-nossa-inteligencia.html)
Observamos o ESPÍRITO (PRINCÍPIO ESPIRITUAL), que é envolvido pelo PERISPÍRITO e este é envolvido pelo CORPO FÍSICO.
Precisamos reler algumas questões do O Livro dos Espíritos:
Questão 88. Os Espíritos têm uma forma determinada, limitada e constante?
– A vossos olhos, não; aos nossos, sim. O Espírito é, se quiserdes, uma chama, um clarão ou uma centelha etérea.
Questão 88 a. Essa chama ou centelha tem uma cor qualquer?
– Para vós, ela varia do escuro ao brilho do rubi, conforme seja o Espírito mais ou menos puro.
Kardec:. É costume representarem-se os gênios com uma chama ou uma estrela sobre a fronte. É uma alegoria que lembra a natureza essencial dos Espíritos. Coloca-se no alto da cabeça, porque é aí a sede da inteligência.
Questão 93. O Espírito, propriamente dito, não tem nenhuma cobertura, ou como pretendem alguns, é envolvido por alguma substância? – O Espírito é envolvido por uma substância vaporosa para vós, mas ainda bem grosseira para nós; é suficientemente vaporosa para poder se elevar na atmosfera e se transportar para onde quiser.
Kardec:. Assim como nas sementes o germe do fruto é envolvido pelo perisperma, do mesmo modo o Espírito, propriamente dito, é revestido de um envoltório que, por comparação, pode-se chamar perispírito.
(imagem extraída do sítio http://uniaoinfantil.blogspot.com/2010/07/origem-e-natureza-dos-espiritos-01.html)
 Questão 94. De onde o Espírito tira seu envoltório semimaterial? – Do fluido universal de cada globo. É por isso que não é igual em todos os mundos. Ao passar de um mundo a outro, o Espírito muda de envoltório, como trocais de roupa.
Questão 94 a. Assim, quando os Espíritos que habitam os mundos superiores vêm até nós, revestem-se de um perispírito mais grosseiro? – É preciso que se revistam de vossa matéria, como já dissemos.
Questão 95. O envoltório semimaterial do Espírito tem formas determinadas e pode ser perceptível? – Sim, tem a forma que lhe convém. É assim que se apresenta, algumas vezes, nos sonhos, ou quando estais acordados, podendo tomar uma forma visível e até mesmo palpável.
Questão 134. O que é a alma? – Um Espírito encarnado.
Questão 135. Há no homem outra coisa mais que a alma e o corpo? – Há o laço que une a alma ao corpo.
Questão 135 a. Qual é a natureza desse laço? – Semimaterial, ou seja, de natureza intermediária entre o Espírito e o corpo. É preciso que assim seja para que possam se comunicar um com o outro. É por esse princípio que o Espírito age sobre a matéria e viceversa.
Kardec:. Desse modo, o homem é formado de três partes essenciais:
1ª ) O corpo ou ser material, semelhante ao dos animais e animado pelo mesmo princípio vital;
2ª ) A alma, Espírito encarnado que tem no corpo a sua habitação;
3ª ) O princípio intermediário ou perispírito, substância semimaterial que serve de primeiro envoltório ao Espírito e une a alma ao corpo físico.
São como num fruto: a semente, o perisperma e a casca.
Questão 141. Há alguma verdade na opinião dos que pensam que a alma é exterior e envolve o corpo? – A alma não está aprisionada no corpo como um pássaro numa gaiola. Irradiante, ela brilha e se manifesta ao redor dele como a luz através de um globo de vidro ou como o som ao redor de um centro sonoro. É desse modo que se pode dizer que é exterior, mas não é o envoltório do corpo. A alma tem dois envoltórios ou corpos: um sutil e leve, que é o primeiro, chamado perispírito; o outro, grosseiro, material e pesado, que é o corpo carnal. A alma é o centro de todos esses envoltórios, como o germe o é numa semente, como já dissemos.
A humanidade está distribuída no universo, onde cada planeta tem uma humanidade espiritual.
 Quando desencarnamos há o rompimento do cordão fluídico do corpo espiritual com do corpo material.
Vamos reler algumas questões do O Livro dos Espíritos:
Questão 155. Como se opera a separação da alma e do corpo? – Quando os laços que a retinham se rompem, ela se desprende.
Questão 155 a. A separação se opera instantaneamente e por uma transição brusca? Há uma linha de demarcação nitidamente traçada entre a vida e a morte? – Não; a alma se desprende gradualmente e não escapa como um pássaro cativo subitamente libertado. Esses dois estados se tocam e se confundem de maneira que o Espírito se desprende pouco a pouco dos laços que o retinham no corpo físico: eles se desatam, não se quebram.
Kardec:. Durante a vida, o Espírito se encontra preso ao corpo por seu envoltório semimaterial ou perispírito. A morte é apenas a destruição do corpo e não do perispírito, que se separa do corpo quando nele cessa a vida orgânica. A observação demonstra que, no instante da morte, o desprendimento do perispírito não se completa subitamente; opera-se gradualmente e com uma lentidão muito variável, conforme os indivíduos. Para uns é bastante rápido e pode-se dizer que o momento da morte é ao mesmo instante o da libertação, quase imediata. Mas, para outros, aqueles cuja vida foi extremamente material e sensual, o desprendimento é mais demorado e dura algumas vezes dias, semanas e até mesmo meses. Isso sem que haja no corpo a menor vitalidade nem a possibilidade de um retorno à vida, mas uma simples afinidade entre corpo e Espírito, afinidade que sempre se dá em razão da importância que, durante a vida, o Espírito deu à matéria. É racional conceber, de fato, que quanto mais o Espírito se identifica com a matéria, mais sofre ao se separar dela. Por outro lado, a atividade intelectual e moral, a elevação de pensamentos, operam um início do desprendimento mesmo durante a vida do corpo, de tal forma que, quando a morte chega, o desprendimento é quase instantâneo. Esse é o resultado de estudos feitos em todos os indivíduos observados no momento da morte. Essas observações ainda provaram que a afinidade que em alguns indivíduos persiste entre a alma e o corpo é, algumas vezes, muito dolorosa, visto que o Espírito pode sentir o horror da decomposição. Esse caso é excepcional e particular para certos gêneros de vida e certos gêneros de morte; verifica-se entre alguns suicidas.
Questão 156. A separação definitiva da alma do corpo pode ocorrer antes da completa cessação da vida orgânica? – Na agonia, a alma, algumas vezes, já deixou o corpo. Nada mais resta nele do que a vida orgânica. O homem não tem mais consciência de si mesmo e, entretanto, ainda há nele um sopro de vida orgânica. O corpo é uma máquina que o coração faz mover. Existe, enquanto o coração faz circular o sangue em suas veias, e não tem necessidade da alma para isso.
Questão 157. No momento da morte, a alma tem, às vezes, um desejo ou um êxtase que lhe faz entrever o mundo em que vai entrar? – Muitas vezes a alma sente desfazerem-se os laços que a prendem ao corpo, então, faz todos os seus esforços para rompê-los completamente. Já em parte desprendida da matéria, vê o futuro desdobrar-se à sua frente e desfruta, por antecipação, do estado de Espírito.)
 Foi dito que há uma relação do princípio vital do princípio espiritual. (Releia acima as questões 135 e 135a transcritas do O Livro dos Espíritos. Para saber mais sobre o princípio vital, leia O Livro dos Espíritos. Parte Primeira. Capítulo 4 – PRINCÍPIO VITAL – Questões 60 a 67a).
 Também foi dito que na reunião mediúnica (de desobseção) os Irmãos Espirituais Superiores podem mudar o perispírito do médium orientador/doutrinador, escondendo as “impressões digitais” (imperfeições) dos médiuns para que não seja criticado pelo espírito imperfeito que estiver se comunicando com o mundo material.
 Sem o perispírito não há possibilidade do zigoto progredir (embrião – gestação). O Espírito é minimizado para ligação de seu perispírito com o zigoto.
 As reencarnações podem ser planejadas pelo espírito. Quanto mais evoluído o espírito, mais liberdade ele terá para planejar sua reencarnação.
(Para saber mais sobre a escolha das provas, leia O Livro dos Espíritos. Parte Segunda. Capítulo 6 – Vida Espírita. ESCOLHAS DAS PROVAS – Questões 258 a 273, porém é importante ler as questões 337 e 350 do capítulo 7).
 O processo de reencarnação conclui-se quando a criança completa 7 (sete) anos de idade.
(Quanto a essa informação vejamos o livro Missionário da Luz, pelo Espírito André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier, Capítulo 13 – Reencarnação, que transcrevo uma pequena parte, porém seria interessante a leitura de todo o mencionado capítulo, pois trata também da ligação do perispírito com o zigoto:
“[…] Voltando-se para os Construtores, falou-lhes, afável:
– Meus amigos, o nosso Herculano permanecerá em definitivo junto de Segismundo, na nova experiência,até que ele atinja os sete anos, após o renascimento, ocasião em que o processo reencarnacionista estará consolidado. Depois desse período, a sua tarefa de amigo e orientador será amenizada, visto que seguirá o nosso irmão em sentido mais distante. Sei que o devotado companheiro tomará todas as providências indispensáveis à harmoniosa organização fetal, seja auxiliando o reencarnante, seja defendendo o templo maternal contra o assédio de forças menos dignas; entretanto, peço-lhes muita atenção nos primórdios de formação do timo, glândula, como sabem, de importância essencial para a vida infantil, desde o útero materno. Precisamos do equilíbrio perfeito desse departamento glandular, até que se forme a medula óssea e se habilite à produção dos corpúsculos vermelhos para o sangue. Os diversos gráficos das disposições cromossômicas facilitarão os serviços dessa natureza.
[…]
Em virtude das anteriores explicações do orientador, relativamente à importância da assistência de Herculano a Segismundo reencarnado, até aos sete anos, procurei obter do instrutor alguma elucidação a respeito. Pedi desculpas a Alexandre, todavia, não me pude furtar à delicada inquirição. Porque tamanho cuidado com o sangue do futuro recém-nascido? Somente aos sete anos iniciais de existência humana estaria terminado o serviço de reencarnação?
[…] – Você não ignora que o corpo humano tem as suas atividades propriamente vegetativas, mas talvez ainda não saiba que o corpo perispiritual, que dá forma aos elementos celulares, está fortemente radicado no sangue. Na organização fetal, o patrimônio sanguíneo é uma dádiva do organismo materno. Logo após o renascimento, inicia-se o período de assimilação diferente das energias orgânicas, em que o «eu» reencarnado ensaia a consolidação de suas novas experiências e, somente aos sete anos de vida comum, começa a presidir, por si mesmo, ao processo de formação do sangue, elemento básico de equilíbrio ao corpo perispirítico ou forma preexistente, no novo serviço iniciado. O sangue, portanto, é como se fora o fluido divino que nos fixa as atividades no campo material e em seu fluxo e refluxo incessante, na organização fisiológica, nos fornece o símbolo do eterno movimento das forças sublimes da Criação Infinita. Quando a sua circulação deixa de ser livre, surge o desequilíbrio ou enfermidade e, se surgem obstáculos que impedem o seu movimento, de maneira absoluta, então sobrevém a extinção do tônus vital, no campo físico, ao qual se segue a morte com a retirada imediata da alma. […]”)
A irmã Helena disse que é através do magnetismo que se pode ocorrer o acoplamento do perispírito ao corpo físico, citando a leitura dos livros Missionário da Luz e Transição Planetária.
 Foi dito que pouco importa a forma do corpo físico, pois o espírito se manifesta. Por exemplo, um rapaz no Piauí que construiu uma televisão com sucatas apenas lendo matérias sobre eletrônica e observando sistemas eletrônicos e montagens de aparelhos.
 ITENS 15 E 16 – HIPÓTESE SOBRE A ORIGEM DOS CORPOS HUMANOS.
 Charles Darwin, viajando pelo mundo, verificou que fósseis na África eram semelhantes da América do Sul.
(Essa viagem é conhecida como “Viagem do Beagle”, que durou quase cinco anos: 1832/1836).
A teoria da evolução é universal e aqui na Terra foi descoberta por Darwin. Ele publicou em 1859 seu livro “A Origem das Espécies”, onde idealizou a teoria da evolução a partir de um ancestral comum por meio da seleção natural.
Foi lembrado que a obra A GÊNESE foi escrita pelos Espíritos e publicada em 1868.
 Foi dito que os seres extraterrenos são seres humanos no sentido espiritual.
 Foi citada a teoria do uso e desuso de Lamarck.
“Segundo a lei do uso e desuso (que era uma idéia plenamente aceita na Europa mesmo antes de Lamarck e que também foi defendida por Charles Darwin) os indivíduos perdem as características de que não precisam e desenvolvem as que utilizam. O uso contínuo de um órgão ou parte do corpo faz com que este se desenvolva e seja apto para o correto funcionamento, e o desuso de um órgão ou parte do corpo faz com que este se atrofie e com o tempo perca totalmente sua função no corpo do indivíduo. Estas mudanças são transmitidas aos descendentes através da: Transmissão das características adquiridas – O uso e desuso de partes do corpo provocam alterações no organismo do indivíduo, essas alterações podem ser transmitidas às gerações seguintes. Por exemplo as crias das girafas herdam o pescoço comprido dos pais que supostamente o desenvolvem quando comem folhas das árvores mais altas. Desta forma surgiriam as novas espécies, que na verdade nada tem de novo, são apenas alterações das já existentes, desvios na linha evolutiva.” Texto extraído de http://pt.wikipedia.org/wiki/Lamarck
Foi dito que os homens nos primórdios eram mais feios esteticamente se comparados com os de hoje. E os homens no futuro serão mais bonitos que os de hoje, tanto fisicamente como moralmente.
 O irmão Andrei acrescentou que no futuro nossos corpos serão de matérias mais sutis, ou seja, menos grosseiros que os atuais. Os corpos de nossos ancestrais eram mais grosseiros que nossos corpos. Assim sendo, a humanidade terrena sofrerá mutações (evolução) para residirem espíritos de moral e inteligência mais elevada.
(Em outras palavras, uma nova raça sucederá a nossa, que provavelmente sobreviverá às futuras condições climáticas, atmosféricas, etc, da Terra.)
(Ardi, que segundo os cientistas é a ancestral mais antiga do ser humano. Viveu na África há 4,4 milhões de anos, cujo fóssil foi encontrado no deserto de Awash, Etiópia, em 1994. Para ler a matéria acesse o sítio http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI96256-15224,00.html)
 Vejamos O Livro dos Espíritos:
 Questão 181. Os seres que habitam os diferentes mundos possuem corpo semelhante aos nossos? – Sem dúvida possuem corpo, porque é preciso que o Espírito esteja revestido de matéria para agir sobre a matéria. Porém, esse corpo é mais ou menos material, de acordo com o grau de pureza a que chegaram os Espíritos. E é isso que diferencia os mundos que devem percorrer; porque há muitas moradas na casa de nosso Pai e, portanto, muitos graus. Alguns o sabem e têm consciência disso na Terra; outros não sabem nada.
 Questão 182. Podemos conhecer exatamente o estado físico e moral dos diferentes mundos? – Nós, Espíritos, só podemos responder de acordo com o grau de adiantamento em que vos encontrais. Portanto, não devemos revelar essas coisas a todos, visto que nem todos terão alcance de compreendê-las, e isso os perturbaria.
Kardec:. À medida que o Espírito se purifica, o corpo que o reveste se aproxima igualmente da natureza espírita. A matéria torna-se menos densa, ele não mais se arrasta em sofrimento pela superfície do solo, as necessidades físicas são menos grosseiras e os seres vivos não têm mais necessidade de se destruírem mutuamente para se alimentar. O Espírito é mais livre e, para atingir coisas distantes, tem percepções que nos são desconhecidas. Ele vê pelos olhos do corpo o que apenas pelo pensamento podemos imaginar.
 Questão 185. O estado físico e moral dos seres vivos é perpetuamente o mesmo em cada globo? – Não; os mundos estão também submetidos à lei do progresso. Todos começaram como o vosso, por um estado inferior, e a própria Terra passará por uma transformação semelhante. Ela será um paraíso quando os homens se tornarem bons.
Kardec. É assim que as raças que hoje povoam a Terra desaparecerão um dia e serão substituídas por seres cada vez mais perfeitos. Essas raças transformadas sucederão às atuais, como as atuais sucederam a outras ainda mais atrasadas.
 Quanto à parte final do item 16 da HIPÓTESE SOBRE ORIGEM DOS CORPOS HUMANOS, nosso orientador disse que se trata de uma visão européia da história natural, que é um eurocentrismo, pois todos somos iguais, independentemente da região.                                          *                       *                       *
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s